Módulo inicial do curso ‘Formação de Formadores’ da Enfam é concluído na EPM

Participaram juízes e servidores das escolas judiciais.

 

Foi encerrado ontem (8), na EPM, o primeiro módulo do curso Formação de Formadores, promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), com o apoio da EPM, para magistrados e servidores que atuam na formação inicial e no aperfeiçoamento de juízes nas escolas judiciais estaduais e federais da Região Sudeste.

 

Com a duração de três dias, o módulo consistiu de exposições e dinâmicas para discussão de temas relacionados ao processo de ensino e de aprendizagem, a partir de princípios pedagógicos, bem como das diretrizes da Enfam.

 

As atividades foram conduzidos pelo juiz do TJSP José Henrique Torres, pela juíza do TRF da 1ª Região Vânila Cardoso André de Moraes, pelo pedagogo Erisevelton Silva Lima e pela chefe da Seção de Planejamento e Avaliação Educacional da Enfam, Maria Eveline Pinheiro.

 

Os trabalhos também tiveram a participação do diretor da EPM, desembargador Antonio Carlos Villen; do juiz do TJSP Ricardo Cunha Chimenti, coordenador da EPM e formador da Enfam; e das juízas Rita de Cássia Ramos de Carvalho, do TJBA, e Valeria Ferioli Lagrasta, do TJSP, e do servidor da Enfam Fernando de Assis Alves, que atuaram como formadores convidados.

 

A próxima etapa do curso será realizada na modalidade a distância, de 1 a 30 de agosto. O terceiro e último módulo será promovido em Brasília, nos dias 5 e 6 de setembro, reunindo três turmas regionais.

 

Formação ética e humanista

 

José Henrique Torres explicou que o curso tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a formação de magistrados pautada pela consciência ética e humanista. “Para chegarmos a esses dois pontos vitais, é necessário construirmos um novo modelo de juiz, que seja compromissado com a sociedade, com a justiça social, com a igualdade, com os valores constitucionais e que tenha um olhar direcionado ao ser humano”.

 

Ele ressaltou que as técnicas pedagógicas utilizadas constituem uma quebra de paradigma no processo de ensino-aprendizagem. “Nosso propósito é adotar um método ativo de construção do conhecimento, que chamamos de processo de ensinagem, no qual o juiz formador assume papel de facilitador e não de transmissor do conhecimento. Como resultado, observamos o envolvimento desses novos formadores, e temos certeza de que isso trará grandes benefícios não só à Justiça, mas a toda a sociedade”, concluiu.

 

Participação da EPM

 

O módulo teve a participação de 12 magistrados coordenadores da EPM. Entre eles, estavam os integrantes da coordenação do Curso de Formação Inicial da Escola, juízes Ana Rita de Figueiredo Nery, Luis Felipe Ferrari Bedendi e Marcelo Franzin Paulo, que frequentarem o curso, para adquirirem as competências e técnicas pedagógicas recomendadas pela Enfam.

 

Os primeiros coordenadores da EPM a obterem a conclusão do curso Formação de Formadores foram os juízes Marcio Teixeira Laranjo e Marcos Pimentel Tamassia, também integrantes da coordenação do Curso de Formação Inicial. Eles foram indicados pela EPM, a convite da Enfam, para participarem do curso na sede da Escola, em Brasília, no ano passado e no início deste ano. Foram duas semanas de curso presencial, ao final do qual foram qualificados para serem coordenadores credenciados pela Enfam para planejar e executar o Curso de Formação Inicial e, em continuação, o Curso para Vitaliciamento dos juízes do TJSP.

 

Assim, desde o ano passado, a EPM promove os cursos de Formação Inicial e de Vitaliciamento seguindo as diretrizes pedagógicas básicas da Enfam, em cursos credenciados pela instituição educacional nacional.

 

A par desse curso, os integrantes da coordenação do Curso de Formação Inicial estão fazendo a distância o Curso de Tutores no Contexto da Magistratura, ministrado também pela Enfam, com previsão de término em 28 de junho. Com mais essa certificação, estarão aptos a planejar e executar os cursos pela modalidade EaD, inclusive o Curso para Vitaliciamento dos juízes do 185º Concurso de Ingresso na Magistratura, com data de início designada para o dia 7 de agosto.

 

FB (texto e fotos)