Juízes do 187º Concurso de Ingresso começam Curso de Formação Inicial na EPM

Curso prossegue até janeiro.

 

Os 80 juízes substitutos aprovados no 187º Concurso de Ingresso na Magistratura começaram hoje (3) o Curso de Formação Inicial promovido pela EPM.

 

A abertura dos trabalhos foi feita pelo diretor da EPM, desembargador Francisco Eduardo Loureiro, que agradeceu a presença das autoridades e o trabalho dos magistrados coordenadores do curso e ressaltou a alegria em receber os juízes substitutos na Escola. Ele lembrou que o curso foi credenciado pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e prossegue até janeiro, com uma programação de 450 horas/aula, eminentemente participativa, com atividades permanentes de conhecimento partilhado alinhado à prática da judicatura. “O papel da Escola é ensiná-los a julgar e sobretudo a ter uma postura de comprometimento com a magistratura, porque é uma carreira de profundo comprometimento com a causa pública”, concluiu.

 

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, agradeceu a presença das autoridades e enalteceu a atuação da EPM, como braço acadêmico do Tribunal. Ele salientou que o início do curso é um momento de reflexão, compartilhado com os juízes que transmitirão os conhecimentos adquiridos ao longo da carreira. “Desde ontem, os senhores passaram a pertencer ao Poder Judiciário paulista. Tenho certeza de que é um sonho de vida, por força de um chamamento de que seja cada um por si vocacionado para exercer a relevantíssima função de juiz do Estado de São Paulo e, portanto, do País”, ressaltou, enfatizando o cosmopolitismo da Justiça paulista, com juízes de diversos estados da Federação.

 

Pereira Calças chamou a atenção para as prerrogativas e deveres do magistrado, em conformidade com a Lei Orgânica da Magistratura Nacional, e destacou a importância da conduta ética e equilibrada do magistrado no trabalho, na família e na sociedade: “a ética é a base de todas as nossas decisões, juntamente com o bom senso e a lei”. Ressaltou também a importância do bom relacionamento com colegas, profissionais do Direito, servidores e jurisdicionados e a atuação do magistrado como gestor da unidade judicial. Por fim, enfatizou a relevância da missão jurisdicional, asseverando que deve ser exercida com dedicação, comprometimento, seriedade, amor, foco, persistência e atenção ao jurisdicionado, desejando uma excelente carreira para todos e lembrando que sempre podem contar com o apoio dos presentes.

 

Também compuseram a mesa de honra o vice-presidente do TJSP, desembargador Artur Marques da Silva Filho; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco; o presidente da Seção de Direito Criminal, desembargador Fernando Antonio Torres Garcia; os integrantes da Comissão Examinadora do 187° Concurso de Ingresso na Magistratura, desembargadores Carlos Henrique Miguel Trevisan e Paulo Magalhães da Costa Coelho; e o juiz Marcos Pimentel Tamassia, coordenador dos cursos de formação inicial e aperfeiçoamento para vitaliciamento da EPM.

 

O evento teve a participação do juiz Gilson Delgado Miranda, conselheiro da EPM; dos juízes André Carvalho e Silva de Almeida, Antonio Maria Patiño Zorz, Luís Felipe Ferrari Bedendi, Marcelo Franzin Paulo e Márcio Teixeira Laranjo, integrantes da coordenação do curso, também composta pela juíza Ana Rita de Figueiredo Nery; e do advogado Fernando Campos Scaff, integrante da Comissão Examinadora do 187° Concurso.

 

Na parte da tarde, as atividades tiveram continuidade com exposições sobre a dinâmica e sobre as diretrizes do curso, com a participação do diretor da EPM e dos coordenadores do curso, que dialogaram com os juízes substitutos.

 

MA (texto) / KS e MA (fotos)