Juízes do 189º Concurso de Ingresso concluem Curso de Formação Inicial da EPM

Juízes assumiram nas circunscrições nessa segunda-feira (22).
 
O Curso de Formação Inicial promovido pela EPM para os juízes substitutos do 189º Concurso de Ingresso, foi concluído na sexta-feira (19), após 14 semanas de intensas atividades. Na quinta-feira (18) o curso teve a participação do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo e do corregedor-geral da Justiça e um encontro com a direção da Escola e com a coordenação do curso. Hoje (22) os magistrados assumiram suas funções nas respectivas circunscrições judiciárias.
 
Na quinta-feira (18) pela manhã, durante o sentenciamento monitorado, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Fernando Antonio Torres Garcia, agradeceu o auxílio dos juízes substitutos a mais de 93 unidades judiciais, com as 2.144 sentenças que proferiram. “Esse trabalho significou o início dos senhores na atividade jurisdicional. Sejam felizes e contem com a rede de apoio que sempre terão na EPM e na Corregedoria Geral da Justiça”, salientou. Participaram da visita o diretor da EPM, desembargador José Maria Câmara Junior, e os juízes Marcos Pimentel Tamassia, coordenador-geral do curso; Rodrigo Nogueira, juiz assessor da Corregedoria, e as juízas integrantes da coordenação Ana Rita de Figueiredo Nery, Laura de Mattos Almeida e Renata Coelho Okida.
 
Em seguida, os juízes reuniram-se com o presidente do TJSP, desembargador Ricardo Mair Anafe, que falou sobre a superação das dificuldades e desafios da carreira. “É essencial ter amor ao Poder Judiciário e à profissão. As decisões do juiz são muito importantes para as partes e espelham o Estado Democrático de Direito”, frisou. Ressaltou também a necessidade de conhecer o trabalho dos servidores para a atuação na gestão do cartório e na corregedoria permanente, bem como da boa condução do processo e do cuidado no trato com os servidores, colegas, partes e demais profissionais do Direito. “Ser bom profissional é cuidar dos seus servidores, conhecer suas virtudes e suas deficiências para poder corrigi-las. Devemos ser firmes, mas não insensíveis, e agir com imparcialidade, educação, respeito e elegância”, enfatizou. Por fim, destacou a importância do curso da EPM e do aprendizado com os magistrados mais experientes na carreira. “Contem com os colegas, com a EPM, com a Corregedoria e com a Presidência”, salientou.
 
A juíza substituta Rita de Cássia da Silva Junqueira Magalhães afirmou: “é uma nova fase e estamos engajados em fazer a melhor Justiça possível, atuar bem com os colegas que nos receberão e ter bom relacionamento com todos. Temos consciência de que a nossa força está na nossa decisão e de que o nosso padrão de conduta reflete a imagem do Poder Judiciário paulista e de sua importância para a legitimidade desse poder e das nossas decisões na comunidade”, asseverou.
 
Também participaram o desembargador Ricardo Cunha Chimenti coordenador-geral do curso; e a presidente da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis), juíza Vanessa Ribeiro Mateus. 
 
No período da tarde, houve encontro dos juízes com a direção da EPM e a coordenação do curso. 
 
O desembargador José Maria Câmara Junior agradeceu a colaboração de todos, em especial o trabalho dos coordenadores-gerais, dos juízes integrantes da coordenação e dos servidores da EPM. Ele ressaltou que o curso segue as diretrizes da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e trouxe expositores experientes e capacitados para transmitirem o conhecimento. Destacou também a importância do comprometimento com a ética, o humanismo, a sustentabilidade e a empatia. “Respeito é entender que prestamos um serviço público, trabalhamos para a parte, para a sociedade”, frisou. 
 
O desembargador Ricardo Chimenti agradeceu à equipe de coordenadores do curso e aos servidores da Escola. Ele manifestou a satisfação pela realização do curso e enfatizou a importância de tratar todo em uma relação sujeito-sujeito e nunca sujeito-objeto. O juiz Marcos Tamassia parabenizou os juízes e apresentou informações sobre o período de dois anos até o vitaliciamento. 
 
Os juízes participaram de atividade de cooperação e empatia e de exibição de vídeos, com depoimentos de juízes sobre o curso. Ao final, receberam suas carteiras funcionais. Também participaram do encerramento as juízas integrantes da coordenação Laura de Mattos Almeida e Tatiane Moreira Lima.
 
Programação da semana
 
Na segunda-feira (15) os juízes substitutos participaram de debates sobre o Sistema do Processo Judicial Eleitoral (PJE), com exposições dos servidores da Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo Fabiana Reis Pacheco, coordenadora de assuntos judiciários; Priscilla Carmo Lima Rico Madureira, chefe de gabinete; e Kleber Henrique Facchin, analista judiciário da seção de Suporte ao PJE. A equipe fez uma explanação sobre a atuação do juiz eleitoral no sistema PJE, mostrou o funcionamento do sistema e como se desenvolve o fluxo do processo e esclareceu dúvidas dos magistrados. Participaram do evento os juízes Marcos Tamassia e Ana Rita de Figueiredo Nery.
 
No mesmo dia os magistrados participaram de exposições sobre o aprofundamento no Sistema SAJ dos juízes Felipe Esmanhoto Mateo e Paula Lopes Gomes e do servidor Bruno Moretti Filho, supervisor do Grupo Técnico de Apoio Judicial do TJSP (GTJUD); e receberam instruções sobre o uso dos recursos e das funcionalidades do sistema para o gerenciamento da vara, do cartório e do gabinete, bem como das designações cumulativas. Depois esclareceram as dúvidas sobre o uso do sistema, a criação e uso de modelos, entre outras ferramentas, na aula prática. Participaram do evento os juízes Marcos Tamassia e Ana Rita Nery.  
 
Durante as manhãs de terça e quarta-feira (17), os juízes atuaram na prestação jurisdicional do auxílio sentença monitorado, com a participação do juiz Marcos Tamassia e dos juízes Laura Almeida, Márcio Teixeira Laranjo e Tatiane Lima, integrantes da coordenação. No período da tarde, presidiram audiências e proferiram decisões e sentenças nos foros centrais e regionais da capital, em varas cíveis, da Família, criminais, do Júri, da Infância e Juventude, da Fazenda Pública e dos Juizados Especiais, encerrando a programação de rodízio entre as diversas especialidades das varas.
 
RF (texto) / RF, KS e MB (fotos)


O Tribunal de Justiça de São Paulo utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no portal implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais do TJSP